O mercado de trabalho para advogados no Brasil está em fase de mudanças – muitas delas decorrentes da crise econômica que o país atravessa.

De acordo com um novo relatório da consultoria Robert Half, cada vez mais profissionais seniores estão sendo substituídos por plenos nas empresas.

Outra tendência é o acúmulo de funções. Executivos em cargos de destaque devem incluir cada vez mais atividades sob o seu guarda-chuva, cuidando simultaneamente de compliance e jurídico, por exemplo.

Já os escritórios procuram se defender da crise fechando o foco em áreas com maior demanda de mercado. Bancas mais especializadas têm feito parcerias e associações para ampliar seu escopo de atuação.

Os advogados mais solicitados são os mais experientes – sobretudo no que se refere ao contato com o cliente. Não por acaso, profissionais com olhar empreendedor e fortes habilidades comerciais são os preferidos pelos escritórios.

Com a perspectiva de retomada de fusões e aquisições em 2016, também se espera a expansão de oportunidades para escritórios que oferecem serviços nessa área. Nesse contexto, o inglês será cada vez mais solicitado, já que grande parte das operações se dará com investidores estrangeiros.

Quanto aos salários para a área, o relatório informa que alguns cargos deverão receber reajustes. A bonificação pode alcançar até quatro salários, dependendo da senioridade de cada profissional.

Ainda sob o ângulo da remuneração, a maior valorização será para o cargo de advogado pleno da área consultiva tributária. Em empresas de pequeno porte, o salário para a posição deverá crescer 11,1% no ano que chega.

Navegue pelas imagens a seguir para ver os salários projetados para 2016 em 11 áreas jurídicas no Brasil. À exceção dos bancos, as informações estão organizadas de acordo com o porte do empregador: